PRESO |Técnico de vôlei  acusado de embebedar e estuprar atletas em SC

PRESO |Técnico de vôlei acusado de embebedar e estuprar atletas em SC

O professor e árbitro de vôlei André Wilson Testa, 31 anos, natural de São José-SC, foi preso no final da tarde desta quinta-feira (4) acusado de vários crimes de estupro contra menores de idade.

A investigação foi comandada pela delegada Marcela Goto, titular junto a DPCAMI (Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de São José).

Conhecido na comunidade e no meio esportivo da Grande Florianópolis e todo o Estado, André foi preso preventivamente depois de denúncias “pesadas” de vários atletas e ex-atletas.

André liderava um projeto frente ao ADC Terra Firme, equipe de vôlei que representava o município de São José em competições, em todo o Estado. André ainda era árbitro junto a Federação Catarinense de Vôlei onde chegou a trabalhar na função nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

André foi indiciado por estupro de vulnerável, importunação sexual, além de violar dois artigos do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) o artigo 232, que diz respeito a humilhar e constranger adolescente; além do artigo 243 que é fornecer bebida alcoólica a menor de idade.

Ainda de acordo com o que foi repassado pela delegada Marcela Goto, André Testa estaria coagindo testemunhas no curso do processo.

“Os adolescentes mencionam outras vítimas nos depoimentos, mas assim que são vítimas que estavam meio que sendo coagidas por ele [André Testa]. Foram quatro depoimentos muito rico em detalhes, mesmo modus operandi”, revelou a delegada.

“O que a gente sabe é que ele esteve tentando avisar, pedir, coagir outras pessoas”, acrescentou. O pedido de prisão preventiva solicitado pela delegada foi rapidamente acatado pela juíza Janiara Maldaner Corbetta, da 1ª Vara Criminal de São José.

André Vilson Testa, técnico do time de vôlei - Arquivo pessoal/Divulgação/ND
André Vilson Testa, técnico do time de vôlei – Arquivo pessoal/Divulgação/ND

Ao ser intimado, nesta quinta-feira, André Wilson Testa foi até a delegacia, no bairro Kobrasol, se manteve em silêncio e não quis se manifestar acerca das acusações. Ele foi encaminhado ao sistema prisional de Florianópolis, no Complexo Prisional da Agronômica.

Casos recentes

Os casos denunciados, de acordo com relato das vítimas, vem desde 2017, pelo menos. A delegada explica que a investigação segue para apurar a participação de outras pessoas.

Ela acredita que mais pessoas devem aparecer, sobretudo, quando uma denúncia vem à tona, a tendência é que mais casos apareçam. A exposição do caso e a própria prisão do investigado são fomentadores de que mais pessoas tenham a “coragem” de aparecer.

Com idades de 15 a 17 anos, as vítimas do acusado não tinham um critério de gênero ou perfil. Há denúncias de estupros contra vítimas que se definiam como hetero ou homossexual.

Embebedava vítimas

Mais de um depoimento deram conta que o professor, que era bom de conversa e fazia questão de conquistar a confiança de todos, sempre que podia levava para jantar.

Mais que isso, fazia questão que os atletas bebessem. Umas das vítimas revelou que, de tanta insistência do profissional, acabou cedendo. Revelou ainda que “muito bêbado” foi levado até um motel.

Boletim de ocorrência, que a reportagem teve acesso, onde uma das vítimas relata a postura do técnico – Foto: SSP/PC/Divulgação/ND

Boletim de ocorrência, que a reportagem teve acesso, onde uma das vítimas relata a postura do técnico – Foto: SSP/PC/Divulgação/ND

Entre as represálias, as vítimas revelavam que ele aproveitava a condição de treinador para supostamente humilhar as vítimas e prejudicá-las, sobretudo, sempre que contrariado.

“Os relatos são muito fortes, são muito consistentes, são muitas acusações. Os depoimentos são decisivos. O que elas contam é bem forte” revelou a delegada Marcela, enquanto apontava para os relatos, sobre sua mesa.

Com um perfil de “treinador amigo”, André sempre teve facilidade em conquistar a confiança de todos. Dentre suas vítimas, diferentes classes sociais apesar da maioria ser oriundo de famílias de baixa renda.

Além de alunos da Grande Florianópolis, não há, ao certo, uma estimativa de quantas vítimas André pode, supostamente, ter feito uma vez que o josefense de 31 anos era atuante no cenário esportivo local e regional.

Fundação Municipal de Esporte

Tão logo as denúncias começaram a pipocar, o profissional foi afastado do projeto gerido pela Fundação Municipal de Esporte de São José. O projeto, inclusive, prevê uma casa atleta, mas a investigação ainda não constata vítimas moradoras da casa provida com verba municipal.

NOTA

Fundação Municipal de Esportes e Lazer – FUNESJ informa que: 1- Em maio deste ano a Superintendência da FUNESJ tomou conhecimento informalmente do Boletim de Ocorrência feito por um atleta que foi atendido em anos anteriores por um dos projetos, e que os fatos apresentados à autoridade policial tratavam de um “possível estupro” praticado por um dos técnicos da modalidade de voleibol.

2- A par de parte dos fatos, uma vez que as investigações correm em segredo de justiça, e após solicitar à Procuradoria Geral do Município orientações sobre as providências a serem tomadas, a FUNESJ acatou as recomendações da PGM e buscou notificar imediatamente os responsáveis técnicos pelo projeto Voleibol do Futuro e o professor foi afastado de todas as atividades vinculadas com o município.

3- O Termo de Colaboração entre a FUNESJ e a Associação Desportiva e Cultural Terra Firme tem por objeto a manutenção do Programa de Desporto e de Rendimento, mediante custeio dos trabalhos do Projeto de Voleibol, com a contratação de professor, fornecimento de materiais e divulgação dos projetos nas comunidades sem referência a manutenção de Casa Atleta.

4- A FUNESJ atuará para a acompanhar e colaborar com as investigações. Caso fique comprovado que os fatos narrados no inquérito policial transcendem a figura do acusado e/ou ficar evidenciado a má conduta da instituição na execução do projeto, o Termo de Cooperação será rescindido.

5- Seguiremos firmes no propósito de manter os projetos esportivos em pleno funcionamento de forma segura.

Advogados

O advogado Leandro Henrique Martendal, do escritório Bertol Advogados, é o responsável pela defesa de André Testa.

A prisão preventiva de André Wilson Testa é inoportuna, desnecessária e ilegal.

A nota encaminhada é assinada por Leandro Henrique Martendal e  Marlon Charles Bertol:

“A prisão preventiva de André Wilson Testa é inoportuna, desnecessária e ilegal. A polícia apenas apresentou ilações e conjecturas e, com isso, não comprovou a imprescindibilidade da prisão preventiva, assim como não justificou o cabimento de outras medidas cautelares diversas da prisão.André é inocente e não são procedentes as imputações.

Conforme se comprovará no transcorrer do processo, há denuncismo de viés vingativo. Todas as informações colhidas até o presente momento foram produzidas sem que fosse oportunizado o direito ao contraditório.” 

Federação Catarinense de Vôlei

A FCV (Federação Catarinense de Vôlei) enviou uma nota, nesta sexta-feira (5). A entidade revela que não recebeu denúncias.

[…]em nenhum momento recebemos qualquer tipo de denúncia envolvendo o Sr. André

A Federação Catarinense de Vôlei vem a público se manifestar perante a matéria publicada no dia de ontem (04/08/22) que ganhou repercussão pela gravidade dos fatos apontados.

Incialmente cumpre esclarecer que a FCV repudia qualquer ato de violência, assédio ou discriminação, o esporte, em especial o vôlei, não compactua com qualquer prática abusiva, pelo contrário trata-se de formar pessoas melhores e contribuir como opção saudável de vida.

Esclarecemos ainda que em nenhum momento recebemos qualquer tipo de denúncia envolvendo o Sr. André e que tão pouco tomamos conhecimento dos procedimentos policias ou judiciários visto que tramitam em segredo, porem, como medida preventiva no sentido de facilitar as investigações, o afastamos das suas funções até que os fatos sejam devidamente apurados pelas autoridades competentes.

CBV

A CBV (Confederação Brasileira de Voleibol), em nota, determinou “o afastamento imediato” do quadro da FCV (Federação Catarinense de Vôlei).

“[determina] o afastamento imediato do Sr. André de suas funções, além de suspender seu registro na entidade, não podendo atuar ou participar em nenhuma competição oficial de voleibol, até que os fatos sejam devidamente apurados.

A CBV reitera que repudia qualquer tipo de violência e assédio sexual e moral, e que luta de forma incessante por um ambiente pautado pela ética e pelo respeito, e livre de qualquer tipo de violência ou preconceito”, reiterou a nota encaminhada pela entidade.

Redação com ND+

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques

“PODEM ME PRENDER”: PREFEITO RESISTE AO “LOCKDOWN JUDICIAL” EM MT

O prefeito de Campo Novo do Parecis (391 km de Cuiabá), Rafael Machado (PSL), afirmou nesta terça-feira (30) que irá descumprir a ordem judicial proferida na segunda-feira (29) pela desembargadora

Notícias 0 Comentários

DEPUTADO CRITICA MINISTRO BARROSO E APRESENTA PROJETO PARA CRIMINALIZAR O USO DE DROGAS

Um projeto de lei entrará em rota de colisão contra o pensamento disseminado pela esquerda brasileira. O projeto de autoria do Deputado Federal Victório Galli (PSC-MT), prevê a criminalização de

AGRONEGÓCIO

APROSMAT em parceria com IMA-MT inaugura laboratório HPLC

Nesta segunda-feira (30/11), na sede do Instituto Mato-Grossense do Algodão (IMA-MT) o agronegócio mato-grossense recebeu uma importante ferramenta desenvolvimento da cadeia produtiva, com a inauguração o primeiro laboratório HPLC do