Operação Miastenia – PF reprime comércio irregular de medicamentos estrangeiros

Operação Miastenia – PF reprime comércio irregular de medicamentos estrangeiros

Ação contou com apoio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira, (03), em atuação conjunta com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Vigilância Sanitária de Cuiabá, a Operação Miastenia, com o objetivo de reprimir o comércio irregular de medicamentos de origem estrangeira.

As investigações tiveram início com uma apreensão, no Aeroporto Internacional de Campo Grande/MS, de várias caixas de medicamento de origem argentina, contendo o princípio ativo “Neostigmina”, desacompanhadas de documentação que comprove a sua entrada regular no território nacional.

Durante a investigação, foi apurado que a empresa destinatária da mercadoria apreendida, sediada na capital mato-grossense, não possui registro na Anvisa e comercializa os produtos estrangeiros para distribuidoras de medicamentos e hospitais localizados em outros estados brasileiros.

Na data de hoje, policiais federais e agentes de fiscalização da Anvisa e da Vigilância Sanitária de Cuiabá cumprem 3 mandados de busca e apreensão nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande.

O nome da Operação se deve ao emprego da “neostigmina” na melhora sintomatológica de uma doença denominada Miastenia Gravis.

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Notícias

Morre Denis Maris

Faleceu hoje (19) em Rondonópolis o artista e comunicador Denis Maris, integrante da equipe do Regional MT. Ele havia completado 72 anos ontem e estava internado desde o início da

Destaques

Pane mecânica: Caminhão para e motorista morre atropelado

Neste domingo (10), um grave acidente deixou um morto no km 491, na BR-116, sentido Cajati. A rodovia é usada para ir no trajeto de Curitiba até São Paulo. Segundo testemunhas,

Notícias

Roni Magnani “O fora da lei”

O presidente da câmara de vereadores Roni Magnani, está indignado com o uso obrigatório de máscaras no município, e chegou a reunião do comitê de crises nesta quarta-feira (27), determinado