O MAJOR E O CAPITÃO

O MAJOR E O CAPITÃO

EM RONDONÓPOLIS "MISSÃO DADA É MISSAÕ CUMPRIDA"

Milhões de pessoas já viram “Tropa de elite 1 e 2”, o capitão Nascimento foi capa das maiores revistas brasileiras e todo mundo só falava sobre “Tropa”.

Apontou para os verdadeiros culpados pelo problema da violência no Rio – os políticos. Por tudo isso, mas, principalmente porque reafirmou e ressaltou o valor de nosso primeiro super-herói, o Nascimento que já vem pintado com as cores da modernidade.

Nunca tivemos super-homens, homens-aranhas, justiceiros, ou Jaspion. Mas o filme que Nascimento protagonizou nos faz ter um sujeito por quem torcer do início ao fim.

Nascimento tem a moral ilibada. Coloca na cadeia políticos só com o seu depoimento.

Além disso, ele é pai apaixonado pelo filho, e luta do lado certo da lei, numa sociedade dominada pela corrupção. Também é um homem e, como tal, enfrenta os problemas e erros diversos – o que o aproxima dos mortais normais.

Em Rondonópolis muitos cidadãos comparam o personagem do cinema com o Comandante da Força Tática de Rondonópolis – Major Gleber Candido

Entre uma ocorrência e outra ele sempre está  em prontidão para servir e executar sua função.

Comandou na tarde de sexta-feira (27) a prisão de um dos envolvidos na explosão de um terminal de autoatendimento da Caixa Econômica Federal localizado na Avenida Lions Internacional, em Rondonópolis.

Obviamente estava cumprindo seu dever, no entanto havia falado ao jornalista Victor Santos na ocasião que até o final tarde apresentaria o preso da ocorrência.

Missão dada é Missão cumprida!

 

Marcelo Marreta