MPF pede indenização maior para autor de vídeo homofóbico no YouTube I

MPF pede indenização maior para autor de vídeo homofóbico no YouTube I

O Ministério Público Federal pediu uma punição maior para um homem que publicou vídeo no YouTube com declarações homofóbicas, como a de que homossexuais seriam “aberração” e “desgraça da espécie humana, se é que podemos chamar vocês de ser humano”.

Condenado pela 19ª Vara Federal do Rio de Janeiro a pagar R$ 2 mil de indenização por dano moral coletivo, Altair Francisco Genesio recorreu da pena alegando não haver ato ilícito indenizável.

O MPF tinha pedido indenização de R$ 20 mil e ordem para ele publicar outro vídeo de retratação, mas, devido à renda do réu e aos princípios da proporcionalidade e razoabilidade, recalculou seu pedido de indenização mínima para R$ 5 mil.

O Tribunal Regional Federal da 2ª Região (RJ e ES) encaminhou o recurso para o MPF se manifestar como fiscal da lei (custos legis) antes do julgamento. Na manifestação apresentada ao TRF-2 nesta quarta-feira (4/3), o MPF rebateu alegações do réu como a da ausência de ato ilícito, pois Genesio teria exercitado os direitos constitucionais às liberdades religiosa e de pensamento.

O MPF se opôs ainda à sustentação do réu de que a sentença teria violado a liberdade religiosa, o pluralismo e o Estado Democrático de Direito. “Não há controvérsia quanto ao teor ofensivo da fala do réu, que pretende defender a argumentação espúria como liberdade religiosa e de expressão, sustentando que a discriminação com base em orientação sexual seria legal e acobertada pelo direito em prol de um imaginário interesse coletivo”, apontou o MPF no parecer, repelindo os termos usados pelo réu.

“Todas estas palavras e expressões, quando dirigidas a qualquer grupo coletivamente identificado (e não apenas os homossexuais) causam dano de natureza moral pois subtraem daquele grupo a própria essência de seres humanos. Indubitavelmente essas falas extrapolam a esfera da mera opinião do réu para a esfera da agressão ao próximo.”

Para o MPF, não foi negado o direito de Genesio à livre manifestação sobre a homossexualidade de acordo com sua compreensão ou fé, mas esse direito cessa a partir do momento em que há agressões ou se pretende retirar a própria natureza humana de pessoas, sejam de que grupo forem.

No parecer, o MPF destacou que a indenização deve ser arbitrada de forma suficiente para reparar o dano, sem gerar enriquecimento sem causa. Indenizações desse tipo são revertidas ao Fundo Federal de Defesa dos Direitos Difusos, aplicado em projetos sociais.

Sobre o vídeo
O vídeo com conteúdo homofóbico foi feito pelo réu como crítica a uma sentença da Justiça de Mato Grosso do Sul que puniu um jornalista a pagar danos morais por um discurso homofóbico veiculado em redes sociais em 2007. O MPF avaliou que Genesio se excedeu nesse vídeo.

“Ainda que suas convicções pessoais e posicionamentos políticos não se coadunem com a prática homossexual, ao encorajar publicamente o ódio, a violência e o desrespeito extrapola os limites do exercício regular do seu direito de livre manifestação do pensamento”, ressaltou o MPF na ação, proposta pela Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão. Com informações da Assessoria de Imprensa do MPF.

Conjur

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Destaques

Drone, drogas e aparelhos eletrônicos são apreendidos na área externa da Mata Grande

Policiais penais da Penitenciária Major PM Eldo Sá Corrêa (Mata Grande), em Rondonópolis (215 km ao Sul de Cuiabá), apreenderam um drone e uma mochila com aparelhos eletrônicos e entorpecentes,

Notícias

PM E PCJ| 3 Presos e mais 47 quilos de entorpecentes apreendidos em Paranatinga

Cerca de 47 quilos de entorpecentes pertencentes a uma facção criminosa foram apreendidos pela Polícia Civil com apoio da Polícia Militar, no final da tarde de terça-feira (14.06), em uma

Mato Grosso 0 Comentários

Victório Galli denuncia novela “A Força do Querer” por apologia ao crime

O deputado federal por Mato Grosso, Victório Galli (PSC), em sessão dessa quarta (06.09), criticou os conteúdos exibidos na novela das nove, da Rede Globo, “A Força do Querer”. Segundo