Mãe adotiva e padrasto acusados tentar matar garota em Sorriso são condenados a mais de 10 anos de prisão

Mãe adotiva e padrasto acusados tentar matar garota em Sorriso são condenados a mais de 10 anos de prisão

Meire Maria Pereira Santos Melo, mãe adotiva de uma garota de 12 anos que foi vítima de uma tentativa de homicídio, em Sorriso, e o padrasto acusado do crime, Marcos Medina Dornas, foram condenados pela Justiça. 

A mãe adotiva, acusada de assistir ao crime passivamente, foi condenada a 14 anos de reclusão. Ela poderá recorrer em liberdade. Já o marido dela, Marcos Dornas, acusado de tentar matar a enteada enforcada com o fio de ventilador, foi condenado a 13 anos de reclusão por crime quadruplamente qualificado. Ele segue detido. 

Meire esteve na audiência, que perdurou 5 horas, enquanto o marido participou por meio de videoconferência. De acordo com o promotor de Justiça Luiz Fernando, a decisão do Tribunal do Júri foi “justa e adequada” proporcional à gravidade da conduta praticada, uma tentativa de homicídio em ambiente doméstico familiar. 

O promotor frisou que o conselho de sentença apreciou as provas, os debates, bem com as teses, e descartaram o crime de tentativa de suicídio, ou seja, que a menina não tentou se matar, conforme a mãe adotiva e o padrasto alegaram. 

“Todas as provas são robustas que comprovaram a tentativa de homicídio. O padrasto, com o fio de ventilador, teria asfixiado e provocado enforcamento após a menina ter mexido numa caixa de Dvds do padrasto, sob a presença da mãe, que em vez de amparar, assistiu passivamente cantarolando hinos evangélicos enquanto a filha quase morria asfixiada”. 

Outro lado 

O advogado de defesa do padrasto da menina de 12 anos, Marcos Rogério, disse à imprensa que a sentença foi exacerbada com relação às provas.

“A defesa está muito tranquila, vamos interpor o recuso e vamos anular esse júri. A acusação falava que havia ocorrido a tentativa de homicídio. Mas há prova no processo de tentativa de suicídio. Vamos trazer a nulidade desse processo por força da prova. Estamos muito tranquilos de que vamos reverter essa decisão”. 

O caso

De acordo com o promotor de Justiça Luiz Fernando, a tentativa de homicídio ocorreu no dia 30 de agosto de 2017. A vítima, de 12 anos, ficou meses internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da capital.

O delegado que esteve à frente das investigações, André Ribeiro, relembrou que, na época, a mãe adotiva e o padrasto alegaram que a garota tinha tentado suicídio com o fio de um ventilador. Porém, assistentes sociais, enfermeiros e outros profissionais relataram desconfiança sobre a versão contada pela família à Promotoria de Justiça da Infância. 

Acompanhada por psicólogos em Sorriso, somente em maio de 2018 a vítima teve coragem para denunciar que foi enforcada com um fio do ventilador pelo padrasto. 

Ubiratã 24 horas

Talvez você também goste

Mato Grosso 0 Comentários

BOLSONARO LIDER NA PESQUISA COM 35% DOS VOTOS À PRESIDÊNCIA NO MT

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) lidera as intenções de votos para a Presidência da República em Mato Grosso. Em pesquisa realizada pelo instituto Real Time BigData, e divulgada na

RONDONÓPOLIS 0 Comentários

TERRORISTAS DO MST BLOQUEIAM FERROVIA EM RONDONÓPOLIS

Terroristas do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) bloquearam trilhos da Ferrovia Senador Vicente Vuolo (Ferronorte), nesta quinta-feira (27), em Rondonópolis, provavelmente querem arrancar os ferros dos trilhos e vender ou

Brasil

Arthur Lira: Não rejeita apoio da esquerda

Candidato de Jair Bolsonaro à presidência da Câmara, o deputado Arthur Lira afirmou nesta sexta-feira não rejeitar o apoio de ninguém. “O diferencial da nossa campanha é que nós temos