Lavagem de Dinheiro: Provas contra a Universal, afirma Policia Federal em Angola

Lavagem de Dinheiro: Provas contra a Universal, afirma Policia Federal em Angola

As provas reunidas contra quatro integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola denunciados sob acusação de crimes como lavagem de dinheiro, evasão de divisas e associação criminosa no país são fartas e contundentes, afirmam a Procuradoria-Geral da República (PGR) de Angola e o Serviço de Investigação Criminal (SIC, a polícia federal angolana) em entrevista à BBC News Brasil.

Os quatro investigados no caso são: Honorilton Gonçalves da Costa, ex-representante máximo da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, Fernando Henriques Teixeira, ex-diretor da TV Record África, o bispo António Pedro Correia da Silva (então representante legal da Record e presidente do conselho da IURD em Angola) e o pastor Valdir de Sousa dos Santos.

Leia Também

O processo corre atualmente sob sigilo, mas deve vir a público em breve durante a tramitação judicial que começou em maio, após um ano e meio de investigações por parte da PGR e do SIC.

“Quando você retira dinheiro de um Estado de forma não lícita, você já está a branquear e a violar a lei”, explicou Álvaro João, porta-voz da PGR. Segundo ele, há fatos e provas “que nos levam a chegar à conclusão de que de fato há branqueamento de capitais ou crimes conexos”. O conceito de branqueamento de capitais no ordenamento jurídico angolano é equivalente à lavagem de dinheiro na legislação brasileira, que se trata de esconder a origem de recursos ilegais por meio de operações comerciais ou financeiras.

Manuel Halaiwa, superintendente do Serviço de Investigação Criminal (SIC), afirmou à reportagem que se as provas não fossem contundentes os investigadores da polícia federal angolana não teriam indiciado os quatro acusados brasileiros.

Redação com BBC

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Marretadas

EM BREVE: “VITIMISMO” 5G

Uma das maiores estratégias políticas do prefeito de Rondonópolis, a 2ª maior economia do MT, José Carlos do Pátio (SD), além do populismo de esquerda, denominado “patiolismo”, é ser vítima

Polícia

Rondonópolis Perigosa: Motorista de Aplicativo é Assaltado no Jardim Ana Carla

No final da tarde desta quinta-feira (7), um assalto ocorreu em Rondonópolis no Bairro Jardim Ana Carla. A vítima um motorista de aplicativo que prefere não se identificar. Segundo consta

Polícia

R$ 13,5 mil: Policia Civil recupera valores de estelionato virtual

A Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Informáticos (DRCI), recuperou cerca de R$ 13,5 mil, em Rondonópolis que foram subtraídos de uma vítima de golpe pela em loja virtual. A