DEPOIS DO BRIZOLISMO; SURGE O PÁTIOLISMO

DEPOIS DO BRIZOLISMO; SURGE O PÁTIOLISMO

POR MARCELO MARRETA

Em uma breve e superficial análise do legado do brizolismo, (Leonel Brizola), nos faz pensar que no município de Rondonópolis MT, a segunda economia do estado, as atitudes políticas do prefeito municipal Jose Carlos do pátio (sd), estariam sendo moldados como uma espécie de patiolismo, e nos remete a algumas conexões de uma série de referenciais da história e trajetória política do ex-governador do rio de janeiro e rio grande do sul.

Brizola era engenheiro civil, formado Escola de Engenharia da Universidade do RS.

Zé do Pátio possui graduação em engenharia civil, pela Escola de Engenharia do Triângulo mineiro, Uberaba.

Brizola iniciou como funcionário do Departamento de Parques e Jardins da Prefeitura de Porto Alegre, sendo um dos responsáveis pelo planejamento do espaço verde, o Parque Farroupilha.  

Jose Carlos de Araújo ganhou o apelido, trabalhando no pátio de obras da prefeitura de Rondonópolis. Ali ganhou espaço e reconhecimento, sendo promovido a diretor e depois, por duas vezes, comandando a Secretaria de Obras. Também participou da Fundação da Secretaria de Planejamento e Urbanismo, onde fez o novo mapeamento da cidade.

Suas biografias políticas sempre estiveram pautadas no enfrentamento da hegemonia econômica e política dos adversários.

Em suas bandeiras; a valorização dos companheiros, a importância da educação, Brizola foi mais ambicioso em seus investimentos na área, com a expansão de prédios escolares (escolas municipais que ficaram conhecidas como “brizoletas”, brizolão e CIEPs).

Pátio ainda não chegou neste nível, porém é considerado o pai da unemat em Rondonópolis.

A essência dos dois é mais afim quando enxergamos, em seus discursos a defesa do “povão”

A carreira de Brizola em seu curso ascendente, se elegeu prefeito de Porto Alegre, em 1955, com ampla margem de votos (55%) sobre o candidato da coligação conservadora (PSD/UDN/PL), que fez menos de um terço dos votos.

A popularidade de Brizola como prefeito de Porto Alegre, foi o trampolim político para a conquista do governo do RS em 1958. Brizola ampliou sua base política, fez aliança com os diversos integralistas, e usou a estratégia para atrair os conservadores da época.

Tanto Pátio como Brizola, tiveram gestões amplamente populistas e com destaques para o saneamento básico, a criação de escolas primárias, e principalmente obras em vilas e bairros mais populares, onde praticamente criaram um reduto.

Diante, destas comparações é possível dizer que em Rondonópolis, está surgindo o “PÁTIOLISMO”, ou seja, é de conhecimento que o prefeito José Carlos do Pátio, deseja voos mais altos, como uma provável candidatura ao governo de MT.

Brizola foi candidato a presidência por duas vezes, será que Pátio pretende em um futuro alçar candidatura à presidência da República.

Ou seria apenas uma mera coincidência.

 

Talvez você também goste

Marretadas 0 Comentários

CRISE SEM FIM : JUARY E VILMAR PIMENTEL ENTREGAM SEUS CARGOS DE LIDERANÇA AO PREFEITO ZÉ CARLOS DO PÁTIO

Embora o prefeito Zé Carlos do Pátio(SD) tente se articular na câmara de vereadores, a gravidade e a persistência da crise que afeta duramente o seu inicio de gestão parece

Política 0 Comentários

MEDEIROS VOTA PELO AUMENTO SALARIAL PARA O STF E CONTRARIA BOLSONARO

Há menos de 24 horas, o Presidente eleito orientou que este não era o momento para aumento salarial de Ministros do STF e membros do Judiciário ou de quem quer

Marretadas 0 Comentários

VEREADOR POSSESSO CAUSA TUMULTO EM INAUGURAÇÃO

O vereador Abílio Junior (PSC), neto do Presidente da Assembleia de Deus de Mato Grosso, Pastor Sebastião, se envolveu numa nova confusão em Cuiabá. Seu avô, o Pastor Sebastião é