DENGUE | 924 MIL CASOS REGITRADOS PELO MINISTERIO DA SAÚDE EM 2020

DENGUE | 924 MIL CASOS REGITRADOS PELO MINISTERIO DA SAÚDE EM 2020

A crise sanitária causada pela pandemia voltou a atenção da população para os cuidados preventivos contra a Covid-19. Outra conhecida doença, no entanto, vem apresentando números altos em 2020. Entre 29 de dezembro do ano passado e agosto deste ano, o Ministério da Saúde registrou 924.238 casos prováveis de dengue em todo o país, com taxa de incidência de 439,8 diagnósticos por 100 mil habitantes. 

Entre as regiões do Brasil, Centro-Oeste apresentou a maior taxa com 1.159 diagnósticos por 100 mil habitantes, seguida das regiões Sul (929,2 casos/100 mil habitantes); Sudeste (339,1 casos/100 mil habitantes); Nordeste (240,7 casos/100 mil habitantes) e Norte (106,7 casos/100 mil habitantes). No cenário entre os estados, Acre, Bahia, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal tiveram incidências acima da apresentada no país como um todo. 



Do outro lado do país, no Amapá, o cenário é diferente. Houve redução de 78,9% de casos registrados de dengue em agosto de 2020, na comparação com o mesmo período do ano passado. No entanto, mesmo com o número expressivo de queda nos registros da doença, o superintendente de Vigilância em Saúde do Amapá, Dorinaldo Malafaia, alerta que pode haver subnotificação de casos no estado.

“Nossa avaliação é de que, por um lado pode representar subnotificação de casos em virtude do que foi o reflexo do coronavírus, a partir do momento que teve aplicação do isolamento social, quarentena e lockdown. Isso estabeleceu que tivesse uma procura menor por parte da população às unidades básicas de saúde. E também, pode refletir um diagnóstico diferencial, ou seja, uma dificuldade na identificação entre os sintomas da dengue e da Covid-19”, ressalta. 

Malafaia explica ainda que os serviços do poder público de combate à proliferação da dengue foram afetados pela pandemia. “Em virtude do isolamento social e decretos, agentes de endemia não estão indo à campo. Estamos fazendo agora reuniões para retomada dos serviços. Os indicadores epidemiológicos do Amapá estão em queda, o que permite que possamos retomar as atividades de combate ao Aedes”, diz.

Zika e chikungunya

O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde também trouxe dados sobre chikungunya. Foram notificados 66.788 casos no país, com taxa de incidência de 31,8 casos por 100 mil habitantes. As regiões Nordeste e Sudeste apresentam o maior número de casos por 100 mil pessoas, com 79,2 casos/100 mil habitantes e 22,0 casos/100 mil habitantes, respectivamente. 

Com relação aos dados de Zika, a taxa foi de 2,8 casos por 100 mil habitantes, em um total de 5.959 casos em território nacional. A região Nordeste apresentou a maior incidência (7,3 casos/100 mil habitantes); seguida das regiões Centro-Oeste (3,4 casos/100 mil habitantes); e Norte (2,0 casos/100 mil habitantes). 

Fonte: Brasil 61

Talvez você também goste

Destaques

Médico tem fetiche negado e agride transexual em quarto de motel

Um médico foi preso por agredir uma transsexual após um programa, em Goiânia, nessa terça-feira (14/07). Na porta do motel onde estavam, ela conseguiu filmar parte das agressões enquanto recebia

JUSTIÇA

CÃO vai à Justiça contra agressor e “assina” ação com a patinha

A Justiça do Ceará recebeu uma petição no mínimo incomum: um pedido de danos morais vindo de um cachorro sem raça definida chamado Beethoven, com direito a “assinatura” com a

Política

Vereadores do PSDB exigem transparência e responsabilidade na administração Zé Carlos do Pátio

“O que nós queremos é muito simples; respeito à população,  transparência  no governo e responsabilidade com o dinheiro público.” Esta é a linha de raciocínio e o discurso adotado por