DEBATE SOBRE ESCOLA SEM PARTIDO AVANÇA NA CÂMARA

DEBATE SOBRE ESCOLA SEM PARTIDO AVANÇA NA CÂMARA

Professor Victório Galli Participou Da Comissão

O deputado federal Professor Victório Galli (PSC-MT) na terça- feira (9 ),esteve juntamente com outros deputados entre eles Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) participando da Comissão especial do projeto da escola sem partido.

A comissão especial que analisa o projeto de lei da Escola sem Partido (PL 7180/14) e altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – 9.394/96) obrigará as escolas a respeitar as convicções do aluno, de seus pais ou responsáveis. Segundo o texto, os valores de ordem familiar têm precedência sobre a educação escolar nos aspectos relacionados à educação moral, sexual e religiosa.

“Os trabalhados na comissão estão avançando e apontam a existência real de doutrinação contra nossas crianças e visa separar o que seja direito de expressão do professor que é emitir sua posição político-partidária fora de sala de aula e o direito de ensinar, chamado de direito de cátedra”. Disse Victório Galli.

O vereador paulistano Fernando Holiday (DEM),esteva na comissão como convidado e declarou seu apoio ao projeto escola sem partido.

Outro defensor do projeto é um advogado e procurador de justiça Miguel Nagib, líder do movimento fundado em 2004.

Segundo Miguel Nagib, a doutrinação representa uma forma de cerceamento da liberdade de aprender do estudante, já que, numa de suas vertentes, essa liberdade – que é garantida expressamente pela Constituição Federal – compreende o direito do estudante de não ser doutrinado por seus professores. Trata-se, portanto, da violação a um direito fundamental, e isto, por si só, é muito grave.

As principais vítimas dessa prática são jovens inexperientes e imaturos, incapazes de reagir, intelectual e emocionalmente, a um professor que esteja determinado a “fazer a cabeça” dos alunos.

Martelar ideias de esquerda na cabeça dos alunos. Ou seja, os estudantes acabam não tendo acesso a versões, explicações e abordagens alternativas para os fatos e fenômenos estudados, uma vez que o mercado das ideias, no ambiente acadêmico, é praticamente monopolizado pela esquerda.

A liberdade de ensinar do professor termina onde começa a liberdade de aprender do estudante.

Toda ideologia seja de esquerda, de direita ou de outro gênero sempre atrapalha a compreensão da realidade. Não podemos ver o mundo sob as lentes de uma única ideologia. Onde existam diversas ideologias, a visão necessariamente parcial oferecida por determinado enfoque ideológico pode ser confrontada, impugnada e complementada pela visão igualmente parcial oferecida por outra ideologia. E desse choque entre as diversas perspectivas o estudante poderá formar uma visão mais abrangente e efetivamente crítica da realidade.

 

 

Redação

Sobre o Autor

Talvez você também goste

Notícias 0 Comentários

CAOS NA ALMT: A LISTA DOS 22 DEPUTADOS INVESTIGADOS NO MT

Raquel Dodge, a procuradora-geral da República, emitiu parecer contrária à soltura do deputado Mauro Savi (DEM) em uma reclamação ingressada pela Procuradoria da Assembleia em favor do deputado, junto ao

Notícias

BONOTO “O MAIS FORTE DA DIREITA”, SEGUNDO AVALIAÇÃO DO DEPUTADO CLAUDINEI

Uma entrevista do deputado estadual Claudinei Lopes no programa Na Mira do Marreta (Live Facebook) na noite da quarta-feira (5), algumas revelações importantes foram feitas sobre o atual cenário político

Notícias

TSE divulga limites de gastos de campanha para candidatos a cargos de prefeito e vereador

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou os limites de gastos que os candidatos aos cargos de prefeito e vereador deverão respeitar, durantes as campanhas das eleições municipais de 2020. Os

0 Comentários

Nenhum comentário ainda!

Você pode ser o primeiro a comente este post!

Deixa uma resposta