Pátio recebe senador e discute apoio para desenvolvimento de Rondonópolis

Pátio recebe senador e discute apoio para desenvolvimento de Rondonópolis

O prefeito José Carlos do Pátio recebeu, na tarde desta terça-feira (3), o senador Wellington Fagundes para uma visita de cortesia no Gabinete do Paço Municipal. Entre os assuntos abordados, as principais demandas da cidade, para as quais o senador declarou apoio ao prefeito em articulações em Brasília (DF). Na ocasião, estavam presentes os vereadores da bancada rondonopolitana.

Pátio agradeceu o gesto do senador e o fato de poder contar com ele na construção de uma cidade melhor para os cidadãos e também deixou o seu apoio recíproco. “Sei que você é uma referência que pode fazer a diferença no desenvolvimento desta cidade”, afirmou.

Wellington deixou claro que ter sido relator da Lei Orçamentária Anual (LDO) no Senado Federal o deixou em condições de ter mais acessos aos recursos o que acabará ajudando Rondonópolis e toda a região. Ele destacou a existência de duas emendas que somam R$ 7 milhões referentes ao novo acesso à cidade e à construção de mais uma ponte sobre o Rio Vermelho na Avenida W11, que segundo o senador, já está licitada e contratada. Além de outra emenda de R$ 2 milhões que será utilizada pelo município para drenagem e pavimentação de parte do Jardim Oasis e Paineiras.

Pátio, por sua vez, solicitou apoio para que Wellington intervenha nos trâmites para agilizar a liberação de um financiamento de R$ 84 milhões junto ao Ministério das Cidades que seria usado na drenagem e pavimentação do bairro Sagrada Família. “Nós protocolamento uma carta de intenções no Ministério das Cidades que já está tramitando e a capacidade atual de endividamento de Rondonópolis é de R$ 600 milhões o que torna viável o financiamento”, relatou o prefeito.

Atendendo um convite do senador, Pátio de vê ir à sede do Banco Nacional do Desenvolvimento (Bndes) com o intuito de buscar recursos para ampliar a intraestrutura da cidade.

Saúde

Em função dos problemas no Hospital Regional de Rondonópolis, após a desistência da Organização Social de Saúde (OSS) São Camilo em continuar na administração da unidade e a possibilidade do Consórcio Regional de Saúde assumir o hospital, uma reunião será marcada para debater a questão.

A iniciativa, que deve envolver, além da prefeitura, senadores, deputados, vereadores e poder executivo do estado, é evitar um caos na saúde pública da região. O temor é que o Consórcio não consiga administrar o hospital a contento, prejudicando o atendimento de média e alta complexidade, sobrecarregando os municípios, que não darão conta de suprir a demanda.

Somente Rondonópolis, segundo o prefeito, vem investindo acima de 35% do orçamento na área da saúde, quando a obrigação constitucional é de 15%.

 

 

Danielly Tonin/Gabinete de Comunicação Social

Talvez você também goste

Marretadas

Você precisa de alguém. Que te dê segurança. Senão você dança.

O gestor do Gabinete de Segurança Publica – Gasp, Anderson Rocha foi duramente criticado pelos representantes dos CONSEGs em Rondonópolis, a critica maior foi feita por uma das pessoas mais

Destaques

CONSTRUTORA IMPEDE VEREADOR DE FISCALIZAR OBRA COM RECURSOS PÚBLICOS

O vereador Beto do Amendoim (PSL) foi barrado ao fiscalizar as obras do Residencial Celina Bezerra, por engenheiros que estavam  responsáveis pelo local. Mesmo sem ter acesso ao local, ele

Destaques

ALTERNATIVA SAUDÁVEL CONQUISTA MERCADO CONSUMIDOR EM RONDONÓPOLIS

Você tem a faca e a mandioca nas mãos, e uma idéia sobre empreendedorismo, então: Surgem os Chips de mandioca, livre de gordura trans com sabor único e sem conservantes,