OS” MAIORES” PICARETAS DA HISTÓRIA E PASMEM NENHUM DELES É BRASILEIRO

Golpistas, charlatões, impostores: até Al Capone já caiu na lábia de um deles.

Eles venderam a mãe e não entregaram. Ficaram ricos só com a lábia. E fizeram do trambique uma arte.

 Frank Abagnale (1948)

Golpista, falsificador e mestre dos disfarces, se fez passar por piloto, médico e advogado até ser capturado. Tudo isso antes dos 21 anos. Solto, tornou-se consultor de segurança. Sua vida virou o filme Prenda-Me Se For Capaz.

 Wilhelm Voigt (1849-1922)

Em 1906, o ex-presidiário vestiu uma roupa de oficial e deu ordens a cinco soldados para tomarem com ele a cidade de Köpenick, na Alemanha. Após a conquista, “confiscou” o dinheiro da prefeitura e sumiu num trem. Há uma estátua dele na cidade.

 Charles Ponzi (1882-1949)

Em 1920, o italiano que vivia nos EUA criou um investimento que dava 100% de lucro em três meses, por meio de operações com selos. Nunca pisou numa agência dos correios: usava o dinheiro de quem entrava para pagar quem saía. Em sete meses, passou de pobretão a milionário. Morreu pobre no Rio de Janeiro.

 Victor Lustig (1890-1947)

Em 1925, o checo convenceu um empresário a comprar a Torre Eiffel, fingindo-se de “ministro dos correios e telégrafos”. Um ano depois tentou vendê-la de novo. Denunciado, fugiu para os Estados Unidos, onde conseguiu aplicar um golpe no gângster Al Capone.

 Bernie Madoff (1938)

Manteve uma firma de investimentos por 48 anos, baseada na entrada de novos investidores. Era tão respeitado que tornou-se coordenador da bolsa Nasdaq. Descoberto e preso em 2008 causou a perda de 65 bilhões de dólares.

 

Redação