DEBATE SOBRE ESCOLA SEM PARTIDO AVANÇA NA CÂMARA

DEBATE SOBRE ESCOLA SEM PARTIDO AVANÇA NA CÂMARA

Professor Victório Galli Participou Da Comissão

O deputado federal Professor Victório Galli (PSC-MT) na terça- feira (9 ),esteve juntamente com outros deputados entre eles Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) participando da Comissão especial do projeto da escola sem partido.

A comissão especial que analisa o projeto de lei da Escola sem Partido (PL 7180/14) e altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB – 9.394/96) obrigará as escolas a respeitar as convicções do aluno, de seus pais ou responsáveis. Segundo o texto, os valores de ordem familiar têm precedência sobre a educação escolar nos aspectos relacionados à educação moral, sexual e religiosa.

“Os trabalhados na comissão estão avançando e apontam a existência real de doutrinação contra nossas crianças e visa separar o que seja direito de expressão do professor que é emitir sua posição político-partidária fora de sala de aula e o direito de ensinar, chamado de direito de cátedra”. Disse Victório Galli.

O vereador paulistano Fernando Holiday (DEM),esteva na comissão como convidado e declarou seu apoio ao projeto escola sem partido.

Outro defensor do projeto é um advogado e procurador de justiça Miguel Nagib, líder do movimento fundado em 2004.

Segundo Miguel Nagib, a doutrinação representa uma forma de cerceamento da liberdade de aprender do estudante, já que, numa de suas vertentes, essa liberdade – que é garantida expressamente pela Constituição Federal – compreende o direito do estudante de não ser doutrinado por seus professores. Trata-se, portanto, da violação a um direito fundamental, e isto, por si só, é muito grave.

As principais vítimas dessa prática são jovens inexperientes e imaturos, incapazes de reagir, intelectual e emocionalmente, a um professor que esteja determinado a “fazer a cabeça” dos alunos.

Martelar ideias de esquerda na cabeça dos alunos. Ou seja, os estudantes acabam não tendo acesso a versões, explicações e abordagens alternativas para os fatos e fenômenos estudados, uma vez que o mercado das ideias, no ambiente acadêmico, é praticamente monopolizado pela esquerda.

A liberdade de ensinar do professor termina onde começa a liberdade de aprender do estudante.

Toda ideologia seja de esquerda, de direita ou de outro gênero sempre atrapalha a compreensão da realidade. Não podemos ver o mundo sob as lentes de uma única ideologia. Onde existam diversas ideologias, a visão necessariamente parcial oferecida por determinado enfoque ideológico pode ser confrontada, impugnada e complementada pela visão igualmente parcial oferecida por outra ideologia. E desse choque entre as diversas perspectivas o estudante poderá formar uma visão mais abrangente e efetivamente crítica da realidade.

 

 

Redação

Talvez você também goste

Notícias

“Não tinha como saber com quem ele falava”, diz pai de pelotense suspeito de envolvimento com o EI

  Um jovem de 26 anos, natural de Pelotas, foi preso nesta quinta-feira (21) na Zona Rural de Morro Redondo por agentes da Polícia Federal (PF). Ele é suspeito de envolvimento

Mato Grosso

A MODELO E O GOVERNADOR

A participação do governador Pedro Taques (PSDB) no 2º Festival Braseiro – Cuiabá deu o que falar o evento que é um dos maiores churrascos de carnes nobres do Brasil,

Política

JUARY MIRANDA FALA SOBRE O “POLÊMICO” PEDIDO DE EXTINÇÃO DE MANDATO

O requerimento que pede a Extinção do mandato do vereador Juary Miranda protocolado na segunda feira dia (6) e publicado em primeira mão pelo site Marreta Urgente movimentou os meios