APÓS 17 ANOS CELULAR ‘INDESTRUTÍVEL’ NOKIA 3310 VOLTA AO MERCADO

APÓS 17 ANOS CELULAR ‘INDESTRUTÍVEL’ NOKIA 3310 VOLTA AO MERCADO

Celular Que Ficou Famoso Pela Resistência A Impacto E Longa Duração De Sua Bateria, Volta Ao Mercado Para Alegria Dos Saudosistas.

A nova versão do 3310 tem câmera de 2 megapixels e, para compensar a falta de internet 3G, traz uma moderna versão do famoso jogo Snake (conhecido popularmente como “jogo da cobrinha”), reportou a rede BBC. Os aparelhos serão produzidos pela empresa HMD Global Oy, empresa que detém os direitos de uso da marca Nokia desde que comprou parte da divisão de celulares da Microsoft, no ano passado.

Segundo o jornal britânico The Guardian, o celular vai custar 50 euros (equivalente a 165 reais) e deve chegar às lojas no segundo trimestre de 2017.

O aparelho, que começou a ser comercializado no início dos anos 2000, teve vendas de mais 126 milhões de unidades até ser aposentado, em 2005. O 3310 é considerado um telefone convencional e não um smartphone. Além da possibilidade de fazer ligações, as demais funções que possui e que eram consideradas modernas à época – como enviar SMS, agenda, despertador e jogos – são básicas em qualquer celular atual.

A Nokia abandonou a produção de dispositivos móveis em 2014, quando vendeu o negócio para a Microsoft por 5,44 bilhões de euros, com o objetivo de focar em equipamentos de rede.

 

redação com veja.com

Talvez você também goste

Marretadas

MAIS UM NOMEADO DA GESTÃO ZÉ CARLOS DO PÁTIO TERÁ QUE PRESTAR CONTAS A JUSTIÇA

O prefeito Zé Carlos do Pátio tem enfrentado no inicio de gestão um desgaste que poderia ser evitado, bastaria que observasse algumas regras entre elas à de não nomear pessoas

Destaques

LULA VAI FUGIR…..

Lula prepara um golpe, diz o Estadão: “O Estado brasileiro é ilegítimo, está a serviço de interesses estrangeiros e por isso não tem moral nem autoridade para julgar e botar

Mato Grosso

TAQUES PEDE MAIS RESPEITO COM OS DEPUTADOS DEPOIS DE VAIAS

Passado quase um ano do escândalo das fraudes que ocorreram em licitações de 23 obras em escolas em que envolvia servidores da Secretaria Estadual Educação de Mato Grosso (Seduc), Pedro