ALUNOS E PAIS LAMENTAM ENCERRAMENTO DAS ATIVIDADES DA ORQUESTRA SINFÔNICA JOVEM DE RONDONÓPOLIS

ALUNOS E PAIS LAMENTAM ENCERRAMENTO DAS ATIVIDADES DA ORQUESTRA SINFÔNICA JOVEM DE RONDONÓPOLIS

O que era para ser mais um dia de ensaio da Orquestra Sinfônica Jovem foi na verdade o último encontro do projeto desenvolvido há cerca de dois anos em Rondonópolis em parceria com o Instituto Ciranda, organização sem fins lucrativos que tem a sede em Cuiabá. Na noite desta quinta-feira (18) o maestro Murilo Alves se reuniu com alunos e pais, no auditório do Centro Cultural José Sobrinho, para comunicar que a Prefeitura decidiu encerrar o convênio da orquestra que atende mais de 350 crianças, distribuídas nos polos das escolas municipais:  Professora Gildázia de Sousa, Firmício Alves Barreto e no Centro Cultural José Sobrinho. Entre os alunos e os pais o sentimento era de muita tristeza e indignação.

 

“É muito triste ter que entregar este instrumento que tanto gosto de tocar. É como se estivesse tirando uma parte mim”, afirmou Matheus Felipe (11) ao fazer a entrega da flauta transversal, cedida em comodato pelo município, que tocava na Orquestra. Já para a colega Thalita (13 anos), que toca violino a palavra que resume este momento é decepção. “Sinto muita alegria em tocar. Então, estou muito decepcionada com o que está acontecendo. Não estão vendo o valor que este projeto tem para nós”, reclamou.

O pai de Matheus, Silvano Castro, lamentou a decisão da prefeitura. “A gente fica muito triste, porque eles aprendem e é uma ocupação. Fica triste também porque não estão dando o devido valor à cultura. Orquestra não se monta da noite para o dia. Uma pena, pois estão tirando o dinheiro daqui para colocar em outro lugar. É um prejuízo para nossa cidade”, pontuou Castro, acrescentando que após integrar a orquestra seu filho melhorou as notas na escola e a disciplina.

Outro pai, que não quis se identificar, disse que não consegue entender a decisão da prefeitura e que está indignado. “Gastou todo o dinheiro do convênio do projeto da orquestra para este ano em três dias de Carnaval. É muito triste, em casa estamos todos indignados. É ruim ver as crianças tomarem gosto pela música, aprender a tocar e de repente tirarem isso deles. Fica um gosto amargo”, frisou.

Iniciada em meados de 2014, por meio do convênio da Prefeitura com o Instituto, a Orquestra Sinfônica Jovem chegou até a se apresentar junto ao renomado cantor Ivan Lins em comemoração ao aniversário de Rondonópolis. De acordo com o maestro Murilo Alves, buscou-se de todas as formas manter os trabalhos desenvolvidos na cidade. Mas que, infelizmente, na semana passada, a Prefeitura informou que não tem condições e nem interesse em renovar o convênio.

“Lutamos muito para manter o convênio. Desde o início do ano temos buscado o diálogo com a prefeitura, inclusive fazendo as adequações no projeto que nos foram solicitadas”, disse o maestro, informando que, enquanto discutia com a equipe da prefeitura a continuidade e o custeio da orquestra, as aulas e os ensaios foram retomados no início do ano em respeito aos alunos e a comunidade de Rondonópolis que abraçaram o projeto.

“Desde fevereiro nós retomamos as aulas, dentro das nossas condições, com reduções de professores, no intuito de sensibilizar o Poder Público sobre o tipo de trabalho que fazemos, o que é desenvolvido e quais são os ganhos sociais, humanos e culturais para quem participa do projeto e para a população da cidade. No entanto, recebemos a informação por parte da Secretaria de Governo que a posição oficial do Município era de que o convênio não continuaria”, disse. “Por isso, foi pedido o rompimento oficial do convênio”.

Uma das justificativas do Município para o encerramento do convênio seria o custo elevado. “Qualquer órgão fiscalizador pode confirmar para a Prefeitura que os custos para manter o projeto por meio do convênio são absolutamente menores por criança, do que se elas estivessem em aulas particulares, por exemplo. Além disso, o Instituto traz toda a estrutura, professores… Já pensou se a Prefeitura tivesse que contratar um professor para cada instrumento e um ainda um maestro? Então, essa informação de que o projeto é caro não faz o menor sentido”, explicou Murilo.

Iniciativa Privada

Com as portas fechadas na prefeitura, Alves disse que agora a esperança para que a Orquestra Sinfônica Jovem continue em Rondonópolis, mesmo que não seja nos moldes e nas dimensões que funcionou por meio do convênio com município. “Não podemos simplesmente encerrar um projeto como esse. A nossa esperança é a iniciativa privada”, destacou, revelando que o Instituto Ciranda inscreveu o projeto no Ministério da Cultura, que foi aprovado e está apto a captar recursos via Lei Rouanet.

“Com isso, as empresas da cidade que declaram o lucro real no Imposto de Renda podem doar 4% do valor a ser pago para o Projeto, e depois deduzir do IR. Nós pedimos que quem se interessar procure o Instituto Ciranda, que tem 14 anos de existência e atua em sete cidades”, informou o maestro.

“A orquestra está transformando a vida das crianças e jovens participantes, além de contribuir para o crescimento cultural da cidade. Então, precisamos que as empresas se sensibilizem e colaborem através de leis de incentivo cultural”, conclamou Silvano. O telefone para contato do Instituto Ciranda é o (65) 3623-1239 ou (65) 98402-9723.

Talvez você também goste

Destaques

VANZELI ESTRÉIA “MEGA COMUNIDADE” DIA 23

O advogado, professor, apresentador de TV em Rondonópolis, Carlos Vanzeli, estréia na radio Mega FM 99,3 nesta segunda-feira dia 23 de janeiro, o programa MEGA COMUNIDADE. A análise dos fatos

Destaques

Vinícius Vargas se apresenta ao Cuiabá Esporte Clube

O talentoso meia Vinícius Vargas que teve atuação de destaque Copa Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) pelo Mixto ano passado foi sondado por clubes da Europa, porém a proximidade com

RONDONÓPOLIS

PM REALIZA SEU TRABALHO COM EFICÊNCIA

Um administrador de empresas foi abordado com sua esposa foi vitima de assalto ,por dois indivíduos quando saia para comer um espetinho em frente ao prédio onde reside por volta